A chegada de Alex

2 meses atras…

20/12/2012 – Falta apenas 5 dias para a data prevista da chegada do Alex e nem sinal ainda de que ele esta a caminho, quer dizer no domingo eu comecei a ter um tipo de corrimento, cristal clear e denso, pensei que seria o ‘show’ (plug que fica na cervix protegendo a membrana da bolsa d’agua), mas se nao tem sangue ainda e apenas o inicio, o que vem antes do ‘Show’.

Ontem a Laura veio aqui e andamos ate o Morrison (1 km de casa) ela brincou que eu sou a Gravida mais movel que ela ja conheceu e perguntou se eu ainda alcanço o dedão do pé, e brincando eu desci e toquei nao so o dedao do pe mas o coloquei a mao inteira no chao, sem problemas! Rimos a duas, e continuimos a caminhada.

A visita ao shopping local com a Laura foi para tentar comprar uma ‘TENS Machine’ mas nao tem a pronta entrega, todos os lugares que vendem demoram 3 dias para entregar, e por causa do Natal eles avisam que pode demorar, mas ou seja, se o Baby nascer na data prevista, muito provavelmente nao terei a TENS Machine para usar no parto.

(Sobre a TENS Machine – e um aparelho com um circuito eletrico que vc cola nas costas e te da pequenas cargas de eletricidade, tem um controle, e vc que decide o tempo e intensidade, quando vem as contracoes os musculos entram em spasmo, a TENS Machine solta os musculos e deixa o corpo mais relaxado para as proximas contracoes).

O Marido ficou em casa hoje para me acompanhar na consulta medica, a 13:00 estavamos no Hospital, pra variar meu medico nao estava atendendo, mas a medica que me viu dessa vez no lugar dele inspirou confiança, diferente da anterior, Dra. Helen, antes de me ver ligou pro meu Medico que lhe deu instrucoes de como lidar com meu caso. Super tranquila ela me examinou e fez o tal ‘Swipe’ como eles chamam, ela me avisou antes de me dispensar que eu poderia me sentir um pouco inconfortavel e talvez o ‘show’ descesse.

Dra. Helen também marcou indução para dia 24/12/2012 caso nada aconteça até lá.

Saimos do hospital e fomos ao shopping center tentar achar alguma TENS machine a pronta entrega, passamos no Supermercado antes, e senti algo, fui ao banheiro, e la estava ele, o SHOW, OK! bom sinal, mas dai em diante o desconforto so foi aumentando, mas nada que me fizesse parar! Andamos quase o Shopping inteiro atras da TENS machine, mas numa loja tinha (M@£$%! por que nao comprei via internet a um mes atras??).

Depois do Shopping passamos no meu GP, eu tinha horario para ver minha midwife e informa-la sobre o que a medica disse, aproveitei para mencionar o ‘Show’ e ela me alertou que isso poderia acelerar as coisas. Antes de sair de la, disse a ela que nao tinha conseguido comprar uma TENS Machine, e ela me emprestou a do consultório! Sorte a minha!

Uma ultima parada para buscar o carro do Marido que estava no mecânico, e por volta das 6 estavamos em casa, exausta, e bastante encomodada. Jantei, e fui tomar um banho de banheira fiquei por la alguns bons minutos, tomei um paracetamol e fui para cama.

Dormi… Mas nao por muito tempo, acordei com o que eu no momento considerei contrações começaram, e eu nao conseguia ficar na cama.

Baixei um APP para monitorar as contrações, peguei minha bola de exercicios e comecei a monitorar, mas eram esporádicas, e o APP calculou que eu nao tinha dilatação, bom, pra ser honesta eu nao precisava do APP para saber disso.

21/12/2012

Não consegui mais dormir, passeio o resto da noite indo da bola para a banheira de água quente, e tomando paracetamol a cada 5 horas. O marido acordou por volta da 4 e me viu andando de um lado para o outro gemendo de vez em quando, pergunto se eu queria ir para o Hospital, e eu como assisti bastante episódios de ‘One born every minute”, sabia que sem dilatação era perca de tempo ir para o Hospital, eles me mandariam de volta, e apesar da dor, eu ainda conseguia andar então não estava assim tão perto! ele voltou a dormir, e eu voltei a gemer….

8:30 – As contrações estava cada vez mais próximas, as dores cada vez mais intensas a ponto de me fazer dar gritinhos, o paracetamol ja não fazia mais efeito nenhum, banheira quente ja não ajudava mais e meu app comecou a calcular 4cm de dilatação. Mas 8:3 e horario de hush e eu não queria ficar parada no transito tantando chegar no hospital. Então ligamos para receber instruções. No telefone com a atentende, eu tinha que parar para as contrações, e ela me mandou ir para o Hospital…

Arrumamos as coisas e ainda tivemos tempo para um ‘briguinha’ de casal sobre o que levar e o que não levar p o hospital, marido queria carregar tudo numa mala quase do meu tamanho, enquanto eu queria tudo em pequenas sacolas dentro do carro e se precisasse levariamos para dentro do hospital, carregando apenas o essencial para cada estagio. Eu venci!

10:30 – saimos de casa a caminho do hospital, apenas 10 minutos, mas por causa do desconforto e contrações frequentes pareceu uma década.

Fomos direto para Labour ward, aonde nascem os bebes, e fomos recebidos por duas midwifes, super simpaticas, me levaram para o suposto quarto, aonde eu supostamente daria a luz, e depois de conversar, preencheer formularios, me examinaram, e me disseram o que eu não queria ouvir, eu não tinha dilatação nenhuma!

O procedimento normal e mandar pra casa, mas apesar de nao ter dilatação, minhas contrações eram regulares e bem fortes, a tal ponto, que a midwife acreditava que nao levaria muito tempo ate que eu dilatasse completamente. E foi por essa razão que elas resolveram me manter no hospital, so que eu nao poderia ficar na Labour ward, e elas me transferiram para a Antenatal ward, para minha tristesa, afinal meu quarto na Labour ward tinha hidro, cadeira de balanço, bola e outros gadgets para ajudar no parto… Ja na antenatal ward era apenas a cama e uma cadeira p marido sentar, ah midwife me trouxe uma bola de exercicio, assim eu poderia continuar me movimentando. Bom, melhor do que ter que voltar para casa e ficar na duvida de quanto de dilatação eu tinha, pelo menos ali a cada intervalo alguem vim checar meu progresso.

Me deram codeine para aliviar a dor e eu ate consegui descansar um pouco, as contrações entretanto continuavam regulares, quando o efeito do codeine passou as dores voltaram com tudo, e eu pedi injeção, isso era por volta da 1 da tarde e eu estava com 3 cm de dilatação, so mais 1cm e eles me levaria de volta para a Labour ward. Com o efeito da injeção eu aproveitei para andar e sentar/pular na bola e tentar de certa forma acelerar o processo, o cansaço entretanto começou a me abater e eu acabei deitando para tentar descansar um pouco mais, pensando em guardar minhas energias para fase final.

A essa altura eu ja usava a TENS porque mesmo sobre o efeito da injeção as contrações eram fortes demais.

Eu ainda estava sob efeito da injeção quando atingi os 4cm necessarios para ser transferida, mas não tinha quarto disponível na Labour ward e eu teria que esperar, deveria ser rápido, me disse a doce nidwife, novinha com cara de anjo, que tonou conta de mim o dia todo na Antenatal.

Dai em diante as coisas começaram a ficar tensas, a midwife voltava a cada meia hora e avisava que estava so esperando um ok para me transferir, mas nada acontecia, pedi para ela me dar outra injeção, mas ela nao podia, por causa da transferencia.

As 7 horas ela vaio avisar que estavam trocando de turnos, e que eu em breve seria levada para a Labour, e essa foi a ultima vez que a vi, antes no entanto no ar de misericórdia ela me deu mais um codeine, que a essa altura funcinava tão bem quanto água com açúcar.

Demorou um tempo e ninguém aparceu, e não tinha ninguém no balcão da ward quando o marido foi ver o porque estavam demorando tanto. ja era mais de 9 horas quando apareceu alguém, e eu ja estava subindo pelas paredes de dor. Uma senhora de origem africana e com sotaque carregadissimo, apareceu, se identificou como midwife da noite, e foi logo me examinar, eu estava com 7cm e ela quis saber o que eu ainda estava fazendo ali que não tinha sido levada para a Labour, nos tinhamos a mesma pergunta, pedi a ela uma injeção ou qualquer coisa que me ajudasse com a dor.

Ela foi e voltou com o GAS, sim o GAS!! colocou o tubo na minha boca e me ensinou como puxar o ar, “com força!” repetia ela. Enquanto eu aprendia a respirar aquilo ela colocava um monitor ao redor da minha barriga para pegar os batimentos cardiacos do Alex e monitorar as contrações, também me colocou no soro para evitar desidratação. Ela nem tinha saido do quarto ainda e eu comecei a delirar, no meu delirio eu estava num terrero qualquer no Brasil, ela (a midwife) era uma mãe de santo, e eu fumava um cigarro da paz qualquer…

Comecei a falar coisas para o Marido, no estilo sobrenatural (anjos e demonios), e ele mais ou menos me contou depois, porque eu pouco me lembro. Entre o GAS e a TENS eu alucinava nas minhas contrações, a combinação do dois me dava uma sensação estranha de alivio depois de cada contração e eu tinha a impressão de estar tão bebada como nunca estive antes (e olha que eu ja fiquei bem bebada antes) :-/ de certa forma eu estava gostando de tudo aquilo, eu sei estranho dizer mas e verdade.

Eu não sei a que altura do campeonato minha bolsa rompeu, segundo o marido por volta das 11:00 da noite, eu sinceramente perdi noção de tempo, eu lembro apenas da sensação de alivio quando a bolsa rompeu, mais ou menos como ir ao banheiro depois de passar horas segurando, mas em seguida a dor passou de uma intensidade quase tolerável para outra que simplesmente não sei classificar.

A “midwife mãe de santo” comecou a agir de forma diferente, nervosa, segundo o marido ela queria me transferir imediatamente, ela sabia que com o rompimento da bolsa e a intensidade das contrações o nenem poderia nascer a qualquer momento e eu estava no lugar errado para isso, também o monitor não estava pegando o coração do Alex com precisão, eles precisavam colocar um cateter, e isso teria que ser feito na Labour. Ela saiu e voltou brava, e ela mesma desconnectou todo meu ‘equipamento’ e arrastou minha cama pelo corredor e me levou para Labour ward mesmo sem autorização, e eles tiveram que me aceitar.

Por causa da dor eu respirava ainda mais rápido aquele gas e ficava ainda mais alucinada, eu lembro apenas ‘flashes’ medico e mifwifes pareciam preocupados, uma delas tentava me tirar o tubo de gas que eu mordia com toda minha força, jurando a mim mesma que ninguém iria me tirar aquilo da boca, e respirava ainda mais fundo, tinha instruções sendo dadas para que eu empurrasse, mas que disse que eu as seguia, não existia mais o intervalo de alivio entre as contrações e quando parecia que eu ia perder o fôlego eu gritava, o que so tornava as coisas ainda piores, concientemente eu sabia que não deveria gritar para salvar energia e que deveria seguir as instruções, mas quem disse que eu estava conciente.

Num momento de vacilo da minha parte deixei o tubo de gas, e eles conseguiram me tirar de mim, e minha consciência foi voltando, so para ouvir: ‘O coracao do nenem esta muito devagar..’ – ‘Temos que tirar o nenem agora…’ – ‘Mamãe, temos que fazer esse procedimento, voce concorda?…’ – naquele ponto a dor era a pior que eu ja senti, e se eles me oferecem um tiro na cabeca eu diria ‘GO AREADY!’, eu não sei porque eles fazem certas perguntas.

O procedimento, que ele me pediu autorização, foi colocar uma ventusa (tipo de desentupidor) e puxar o nenem, e foi isso que eles fizeram, antes que minha consciência voltasse um pequeno bolo quase azul, cheio de sangue, todo molengo foi colocado em cima do meu estomago, e la estava ele, a dor passou imediatamente, e eu voltava da minha alucinação para a mais bela (ironicamente nao tao bela assim) imagem do meu filho ali nos meus bracos, a 01:00 da manha do dia 22/12/2012.

Estranhamente eu nao chorei, o marido do meu lado me abracando chorava sem parar e eu simplesmente ainda estava no meu estado de alucinacao e nao me dei conta que tinha terminado.

No fim eles descobriram que o batimento do Alex sempre esteve normal e que ao invez de monitorar o batimento dele, o cateter escapou e eles estava recebendo meu pulso ao invez do batimento dele, ou seja nao havia exatamente razao para acelerar o processo, mas eu agradeco por ter sido assim, outros 30 minutos ou mais daquilo teria me matado.

E enquanto tinhamos aquele momento ali, nos 3 pela primeira vez, a midwife me avisou da injecao para que eu expelisse a placenta, o pediatria pegou o Alex na promesa de retorna-lo em seguida, o pai foi junto, e minha atencao foi pega pela conversa da midwife para o medico:

- A placenta nao quer descer, esta enroscada.

o medico olha pra ela como se nao acreditasse, e checa ele mesmo, se vira para seus assistentes e diz:

- Preparem a sala de cirurgia, vamos opera-la agora mesmo!

PRONTO! FUDEU! Pensei comigo, depois de todo esse esforco para evitar um cesariana, eles vao ter que me operar… O medico veio ‘me pedir permissao’ e com a conciencia quase de volta, eu disse :

- nao, vc nao vai me abrir!

Ele calmamente me explica, que nao precisa me abrir (ALIVIO, sem pensar direito como seria feita a operacao), me diz que vou precisar de uma epidural e o procedimento seria vaginal sem necessidade de mais cortes. ALIVIO ALIVIO…. Concordei…

Deixei marido e meu pequeno ainda sujinho e fui levada para a sala de cirurgia, foram exatamente 1 hora por la. Entrei la em shock termico, e provavelmente emocional, me deram injecao acho que ajudar a regular minha temperatura, anestesista super legal me explicou tudo que ja sei sobre a epidural, (e nesse momento me arrependi de nao ter pedido pela epidural durante o parto, acabeo tento que tomar do mesmo jeito, mas eu tinha minhas razoes para nao querer), bateu papo, perguntou do que eram as cicatrizes no meu abdomem e aonde eu fuiu operada antes.

E foi assim conversando com o anestesista que o medico rapidamento vez o trabalho dele e retirou a placenta, e eu que a considerava minha amiga, fui traida por minha placenta. Eles nao souberam explicar o porque aconteceu, u,m possibilidade seria o excesso de cicatrizes que tenho interiormente, mas nenhuma das minhas cirurgias passadas cortou meu ultero entao nao teria porque ter cicatriz dentro aonde a placenta grudou… Bom, nunca saberia a resposta e nem e relevate, ja que o mais importante me esperava do lado de fora da sala de cirurgia.

E essa foi a primeira noite do resto da minha vida!


4 Comments

  1. michelle luk

    Ale!!!!!!!!!! Que história!!!!!!!! Fui obrigada a haver paradas na minha leitura para recuperar o folêgo!!! Que bem tudo deu certo!!!! Alex é divino!!!!!!
    Bjsss

    Reply

  2. Mercia

    Ale, estava aguardando ansiosamente esse relato!!! Como sempre suas coisas tem uns vai-vem que Deus me livre!!!! Mas graças a Deus, deu tudo certo!!! Sonho realizado e nova vida pela frente!!! Muito amor pra essa familia linda!!!! Beijos!!! Mercia
    Mercia ultimo post…150 anos de “Mind the Gap”My Profile

    Reply

  3. Katia Renata

    Ale, Deus quando te escolheu para ser mamãe Ele sabia que vc iria suportar e tirar muito proveito de tudo isso….. Ai veio esse LINDO BB, para trazer muita alegria e felicidades. Agora vc sabe esse amor é infinito e eterno, desejo tudo de lindo para esses momentos magicos na vida de vcs e só muita saúde e alegria. bjuss Que DEUS proteja essa familia maravilhosa, <3

    Reply

  4. Sandra Person

    Alê querida que complicação menina de Deus!!!!! eu tava querendo muito saber como tinha sido, mas nunca imaginei….. que gas é esse ???? comigo foi tudo tão rápido, apesar de estar na no Brasil, mas o importante é que o Alex nasceu bem e esta bem, mas é uma histórinha que agora dá até vontade de rir, a mãe de santo foi demais, amiga será que o gas é lança perfume?????!!!!!! beijos olha que ele é a sua cara!!!! LINDO

    Reply

Leave a Reply

*

CommentLuv badge